Porsche 550 SPYDER - Uma outra história de sucesso

"Notchback Long Range"

O título deste post poderá parecer algo bizarro mas serve para definir as características mais particulares deste Porsche 356 que em tempos pertenceu a Fernando Duarte Ferreira. A versão "Notchback" foi produzida por Karmann apenas em 1961 e 1962  com o objectivo de escoar um excedente de Cabrios T5 e T6 que estavam a vender menos que o esperado. Soldava-se um "hard top" ao modelo de base e obtinha-se um "Notchback", modelo que nunca recolheu as preferências da maioria dos entusiastas apesar da raridade, uma vez que só 1,747 carros destes foram produzidos.
A outra curiosidade tem a ver com o facto de este 356 vir equipado com um depósito de combustível "long range", opção que só o proprietário de então poderia justificar.
Junta-se o livrete respectivo.
Agradeço a Luis Sousa mais este serviço prestado à comunidade Porsche 356



Mais uma Vitória

1961. Publicidade Porsche / Guérin


Colaboração de Ângelo Pinto da Fonseca

Um "Monte Carlo" de má memória

Mais de quatrocentos carros compareceram à partida para o Rallye de Monte Carlo de 1953. Destes, 112 partiram de Lisboa, 103 de Glasgow, 42 de Estocolmo, 15 de Oslo, 11 de Palerne, 84 de Monte Carlo e 37 de Munique. O percurso comum pouco contribuiu para a classificação pelo que 253 concorrentes chegaram empatados ao principado, sendo a prova decidia nas duas complementares finais, uma "aceleração e travagem" e um a regularidade que devia ser percorrida à média de 47 km/h.
Os muitos Porsche 356 presentes, entre eles o carro nº1 de Fernando Stock / Pinto Basto (na foto), foram seriamente penalizados ou afastados do rallye devido a um detalhe das verificações técnicas. Ora vejam:

The Porsches were heavily scrutinised by the officials: indeed, several of these cars did not pass the technical checks due to a height of case. Problem: according to the card of the manufacturer, the height of those were to be 88cm, and they were measured at... 91 cm. The organizers tolerated only one small centimetre of variation, the Porsches were thus excluded from the rally for 2 unfortunate centimetres. This occurrence caused great commotion, and once more, the organisation was taunted and scorned by the press.


Em Mafra

Palácio Nacional de Mafra em dia de concerto para seis órgãos e grupo de menestreis, uma rara oportunidade para ouvir os seis órgãos da Basílica a tocarem em simultâneo sob a direcção do professor João Vaz. Os três Porsche 356* estacionados junto do Jardim do Cerco desde o final da manhã atraíram sobre si as atenções das muitas centenas de melómanos e visitantes enquanto os seus proprietários visitavam o Palácio e a sua extraordinária biblioteca.
* Um quarto Porsche 356 deveria ter participado nesta visita mas acabou substituído por um Cayenne por culpa de um "tonneau".



Em Busca

Mais um Porsche 356 português em busca da sua história. Deste sabe-se muito pouco, por agora, excepto que passou por um completo processo de recuperação num passado não muito distante.
Registado em Portugal em 1963, trata-se de um C Coupé Reutter chassis 127458.
Com agradecimentos ao JF



Museu Tovarich

Não, isto não se passa em Moscovo ou São Petersburgo. Passa-se exactamente em Lisboa, ali para os lados do Lumiar e tem a ver com um curiosíssimo museu privado que, entre muitas outras coisas, apresenta uma magnífica cidade miniatura onde circula um combóio eléctrico puxado por uma locomotiva Porsche e onde  a quase totalidade do "tráfego" automóvel é formada por múltiplas variantes do  Porsche 356.
O "Museu Tovarich" ocupa um pequeno apartamento alugado para o efeito e adoptou este nome devido ao "personagem" que nos recebe logo à entrada, um manequim vestido com um fato de voo Anti-G de um piloto de MIG 17 da Força Aérea Soviética e que foi adquirido há alguns anos na Feira da Ladra. De resto, os aviões de combate estão amplamente representados nesta magnífica colecção que inclui também discos de jazz editados pela Verve nos anos 50. Obviamente, a música que se ouvia em fundo (Gene Krupa e a sua prodigiosa bateria) era  transmitida através de um amplificador de válvulas.
Com todos estes ingredientes, se isto não é uma filial do Paraíso vou ali e já venho.
Ah, só faltou dizer que o Manuel (em baixo, à direita) terá exactamente 50 anos quando o Porsche 356 que vai receber do avô completar um século de existência.





Monfortinho

Em 1953 disputou-se o I Rallye às Termas de Monfortinho prova que contou com uma participação massiva de automóveis Porsche 356. Entre as equipas que utilizaram este modelo destacava-se uma senhora, Margarida Riobom (na foto) e um leque de figuras bem conhecidas no meio automobilístico nacional, a saber: Filipe Nogueira, D. Fernando Mascarenhas, Jorge Seixas, Fernando Stock, Ernesto Martorell, Calçada Bastos, Henrique Bastos e Alberto Graça.
Foto da colecção José Barros Rodrigues


Os Princípios do GE-33-98

O seu actual proprietário é conhecido e sabe-se que o GE-33-98 está bem de saúde e recomenda-se. Trazido para Portugal em 1964 este Porsche 356 SC chassis #218368 pertenceu a Francisco Costa Félix, que o usou extensivamente entre Portugal e a Bretanha e posteriormente a sua irmã Leonor (casada com "Lumaro"), que o vendeu a um colaborador deste blogue. Seria originalmente de cor verde mas a sua imagem mais recente mostra-o pintado em cinza prata.


48 Horas do Alentejo 2014

Teve lugar no passado fim de semana a 19ª edição das "48 Horas do Alentejo", prova que Luis Brito organiza anualmente para o Clube Português de Automóveis Antigos e que é já uma "clássica" do calendário nacional. Desta vez apenas um único Porsche 356 esteve presente, o carro de Gabriele e Hans-Friedrich Lemke que aqui vemos junto ao Templo de Diana em Évora e em plena planície alentejana.
Classificações? Who cares...

Mais um Roadster

A imagem mostra o belo Porsche 356 Roadster de Nuno Seruya, aqui acompanhado por "Nanucha" Costa Félix, algures numa praia portuguesa (não, não é Vila do Conde, lugar que ambos frequentavam) em Abril de 1969. Este carro foi importado em Março de 1961, tem o chassis 89007 da Drauz e pertence actualmente a Jorge Nunes.
Colaboração de João Folgado


O Carro da Vigia

As imagens documentam Francisco Veloso Matias, vulgo "Chico" Matias, ao volante do seu Porsche 356 B Coupé durante o Rallye à Praia da Areia Branca de 1961 e depois, orgulhoso, com os troféus conquistados. Note-se a palavra "Vigia" pintada no tejadinho, referência ao GAPAB, Grupo de Amigos da Praia da Areia Branca, instituição fundada em 1956 para promover o desenvolvimento desta zona balnear do concelho da Lourinhã e que tinha sede própria instalada no edifício Vigia, propositadamente construído para o efeito.
O EA-58-04 foi importado em Junho de 1960 e tem o chassis nº 111871. O seu último proprietário conhecido (2012) chama-se Ricardo Antunes.
Com agradecimentos a João Folgado pela colaboração.



Falando sobre Óleos de Motor

O debate tem tantos anos de existência como opiniões diferentes. Qual o óleo indicado para o motor do nosso bem amado "flat four" ou "flat six" já com algumas décadas de uso (e "abuso", nalguns casos)? Todos parecem ter opiniões seguras sobre a matéria, nomeadamente em relação aos lubrificantes  que devem ou não ser utilizados, facto potenciado pela existência de dezenas de opções diferentes no mercado actual. Sintético, semi-sintético, mineral, etc, a oferta cobre todos os gostos e tipos de utilização. Acontece porém que os químicos (detergentes, em especial) utilizados na produção dos óleos actuais não se afiguram compatíveis com as tecnologias de há 60 anos ou mais, podendo causar um desgaste acelerado em vários componentes do motor com resultados eventualmente catastróficos. Portanto o melhor é jogar pelo seguro.
Foi a pensar nisso que a Porsche Classic desenvolveu o óleo de motor de que aqui hoje falamos. Embora produzido na actualidade tem características semelhantes aos produtos que existiam nas décadas de  50 e 60 em função dos quais os motores foram concebidos e desenvolvidos. A escolha é vossa, naturalmente, mas o caminho a seguir para evitar problemas no futuro parece razoavelmente óbvio.
Os óleos Porsche Classic (20W50, para Porsche 356) podem ser adquiridos em qualquer Centro Porsche.
Este post não pretende fazer publicidade seja ao que for. Trata-se apenas de uma sugestão de bom senso.


O 356 do Caramulo

Não tem aparecido na estrada com muita frequência, ultimamente, mas foi bom encontrá-lo em plena forma no seu lugar entre a magnífica colecção do Museu do Caramulo. O Porsche 356 B é uma "jóia" da família e,  disse-me um dos seus membros, não será nunca alienado. Entrou na família na geração anterior e nela continuará por muito mais tempo, para orgulho da actual e das próximas gerações.
Excelente notícia.


Mathey-Tissot Rallye Master

A marca suiça Mathey-Tissot (não confundir com a conhecida Tissot) produz relógios de precisão desde 1886, tendo sido escolhida para equipar as elites do Corpo Expedicionário Americano durante a I Guerra Mundial e a Armada Inglesa durante o conflito mundial que se seguiu. Durante os anos 50 e 60 produziu também cronómetros para provas automobilísticas. O exemplar que aqui se revela no tablier do Porsche 356 foi gentilmente oferecido ao autor do blogue por António Peixinho, figura lendária da história do automobilismo português a quem aqui se presta reconhecido tributo e público agradecimento.
O "carrito do costume" fica agora muito mais rico. Obrigado, António



Postal de Stuttgart

Registo, com prazer, o facto ter sido informado que este blogue é seguido com interesse em Stuttgart, ainda que os textos possam ficar algo limitados pela tradução automática do Google. Porém, no essencial o conteúdo parece ser bem recebido.
Assim, renovando os meus agradecimentos pelo simpático convite da Porsche para visitar a fábrica de Zuffenhausen e o Museu, entre outros lugares, aqui deixo mais algumas imagens dessa extraordinária experiência. Acrescento o link e uma pequena reportagem da nossa visita ao Motorworld de Stuttgart, um espaço verdadeiramente invulgar que inclui um Hotel V8, pavilhões de exposição para automóveis antigos, oficinas de restauro, lojas, carros de alta performance, etc. Um verdadeiro "must see".
Na altura da visita decorria o Stuttgart Bierfest 2014, a "festa da cerveja" que os alemães (e não só) tanto apreciam. Já tivera oportunidade de participar anteriormente noutras "bierfest" mas esta deixou-me particularmente bem impressionado pela animação e, como não podia deixar de ser, pela qualidade da cerveja. Prosit!