Porsche 550 SPYDER - Uma outra história de sucesso

À Descoberta das Linhas de Torres

Visita do auto proclamado "petit comité 356" a uma parte das chamadas Linhas de Torres, um conjunto de fortificações erigido no início do século XIX na costa centro oeste de Portugal para proteger a capital do reino, Lisboa, do avanço dos exércitos invasores vindos de França por ordem de Napoleão. Pausa para visita e almoço privado nas magníficas instalações da Adega Mãe, centro de produção vinícola do grupo Riberalves.
As duas fotografias de baixo são da autoria de Ana Catarina Silva








Na Madeira

Mais imagens do Porsche 356 do engº Aires Pestana que participou em várias provas regionais (e uma internacional, nas Canárias) na ilha da Madeira durante a primeira metade da década de sessenta. Infelizmente não é conhecido o paradeiro actual deste carro.
Colaboração de Marco Pestana





T shirt Porsche 356

Para quem tenha filhos / netos pequenos aqui fica uma sugestão para um presente de Ano Novo. A Lanidor Kids está saldar estas T-shirts para criança decoradas com um belo Porsche 356 Cabrio. O preço anda pelos 13 euros e existem duas oções de cor, cinza e azul. Corram antes que esgote.
Quem é o "modelo"? Só digo que "Porsche" foi das primeiras palavras que aprendeu.

Rallye de Monte Carlo 1960

Às 02 horas e 21 minutos de 19 de janeiro de 1960 teve lugar frente à sede do ACP, na rua Rosa Araújo em Lisboa, a partida da equipa nº 147 participante no Rallye de Monte Carlo desse ano, formada por Lestrade / Laborde, que pilotavam um Porsche 356. A seguir a Lisboa os concorrentes rumavam a Elvas, Madrid, Burgos, Bayonne, Mauriac, Le Puy, Bourgain, Chambéry e Monte Carlo, num total de 3,566 quilómetros. A imagem documenta o Porsche 356 em questão a passar pelas habituais verificações técnicas antes da partida. Infelizmente esta equipa não consta da lista dos concorrentes que terminaram a prova.
Foto - Centro de Documentação do ACP


Crónica de um Sábado junto ao Mar.

As imagens são suficientemente eloquentes. Uma luminosidade dificilmente repetível, o mar azul e sereno a beijar a praia e um verde transbordante que escorre suavemente da serra. Ao fim da tarde juntam-se os carros no local certo e espera-se que o sol se esconda no horizonte. Há melhor?



Perdido por Cem

Mais um filme português a recorrer aos serviços de um Porsche 356, desta vez com grande protagonismo. Trata-se de "Perdido por Cem", um trabalho realizado em 1972 por António Pedro Vasconcelos com financiamento da Fundação Calouste Gulbenkian. Entre os actores principais encontravam-se José Nuno Martins, figura muito conhecida do meio musical, da rádio e da TV da época, e Ana Maria Lucas, uma ex Miss Portugal que mais tarde faria carreira no mundo da Moda.
O CI-71-33 é um Porsche 356 A Cabrio produzido em 1959. Tem o chassis nº 152212 e pertence actualmente a Luis Brito, o organizador do Algarve Classic Cars e um dos principais responsáveis pelo sucesso do 39º International Porsche 356 Meeting realizado no Estoril em 2014.


Estoril Historic Festival 2003

Esta imagem obtida durante o Estoril Historic Festival de 2003 revela-nos um Porsche 356 SC já conhecido e recentemente restaurado a que foi atribuída a matrícula HD-83-22. O chassis tem o número 216890 e foi produzido por Karmann em 1964. 
Fotografia de José Pedro Moreira cedida por Gonçalo Macedo e Cunha.


A Canção da Saudade

As imagens são de baixíssima qualidade mas ainda conseguem revelar o essencial: o Porsche 356 SC Cabrio matrícula II-37-86 de um jovem e rico empresário da noite, um dos personagens do filme "A Canção da Saudade" realizado em 1964 por Henrique Campos e que tinha como protagonista central um conhecido cantor de "rock&roll" da época, Vítor Gomes, habitualmente acompanhado pelo seu grupo "Os Gatos Negros". Outros nomes como Florbela Queiroz, Nicolau Breyner, Simone de Oliveira, Tony de Matos, etc, participam também neste filme que se encontra agora disponível no Youtube para ser visto pelos mais curiosos. Não é brilhante, longe disso, mas sempre traça um retrato da época.
O II-37-86 tem o chassis 160024 e consta desde há um par de anos do Registo 356 Portugal. Continua activo e de boa saúde. Só mudou de cor.
Obrigado, Paulo Augusto

Hedemora race 23-05-1954


Sai um pouco do âmbito deste blogue mas não poderia deixar de partilhar este vídeo com os leitores. Trata-se de uma reportagem sobre o Grande Prémio da Suécia de 1954, prova que foi ganha brilhantemente pelo português Casimiro de Oliveira, que se vê no pódio a receber o troféu de vencedor e a entrar nas boxes com o seu Ferrari 375. Porém, a parte inicial do filme dá-nos conta de uma interessantíssima corrida destinada em exclusivo a Porsches 356, uma espécie de "troféu" monomarca que fez o maior sucesso na altura.

 s

"Notchback Long Range"

O título deste post poderá parecer algo bizarro mas serve para definir as características mais particulares deste Porsche 356 que em tempos pertenceu a Fernando Duarte Ferreira. A versão "Notchback" foi produzida por Karmann apenas em 1961 e 1962  com o objectivo de escoar um excedente de Cabrios T5 e T6 que estavam a vender menos que o esperado. Soldava-se um "hard top" ao modelo de base e obtinha-se um "Notchback", modelo que nunca recolheu as preferências da maioria dos entusiastas apesar da raridade, uma vez que só 1,747 carros destes foram produzidos.
A outra curiosidade tem a ver com o facto de este 356 vir equipado com um depósito de combustível "long range", opção que só o proprietário de então poderia justificar.
Junta-se o livrete respectivo.
Agradeço a Luis Sousa mais este serviço prestado à comunidade Porsche 356



Mais uma Vitória

1961. Publicidade Porsche / Guérin


Colaboração de Ângelo Pinto da Fonseca

Um "Monte Carlo" de má memória

Mais de quatrocentos carros compareceram à partida para o Rallye de Monte Carlo de 1953. Destes, 112 partiram de Lisboa, 103 de Glasgow, 42 de Estocolmo, 15 de Oslo, 11 de Palerne, 84 de Monte Carlo e 37 de Munique. O percurso comum pouco contribuiu para a classificação pelo que 253 concorrentes chegaram empatados ao principado, sendo a prova decidia nas duas complementares finais, uma "aceleração e travagem" e um a regularidade que devia ser percorrida à média de 47 km/h.
Os muitos Porsche 356 presentes, entre eles o carro nº1 de Fernando Stock / Pinto Basto (na foto), foram seriamente penalizados ou afastados do rallye devido a um detalhe das verificações técnicas. Ora vejam:

The Porsches were heavily scrutinised by the officials: indeed, several of these cars did not pass the technical checks due to a height of case. Problem: according to the card of the manufacturer, the height of those were to be 88cm, and they were measured at... 91 cm. The organizers tolerated only one small centimetre of variation, the Porsches were thus excluded from the rally for 2 unfortunate centimetres. This occurrence caused great commotion, and once more, the organisation was taunted and scorned by the press.


Em Mafra

Palácio Nacional de Mafra em dia de concerto para seis órgãos e grupo de menestreis, uma rara oportunidade para ouvir os seis órgãos da Basílica a tocarem em simultâneo sob a direcção do professor João Vaz. Os três Porsche 356* estacionados junto do Jardim do Cerco desde o final da manhã atraíram sobre si as atenções das muitas centenas de melómanos e visitantes enquanto os seus proprietários visitavam o Palácio e a sua extraordinária biblioteca.
* Um quarto Porsche 356 deveria ter participado nesta visita mas acabou substituído por um Cayenne por culpa de um "tonneau".



Em Busca

Mais um Porsche 356 português em busca da sua história. Deste sabe-se muito pouco, por agora, excepto que passou por um completo processo de recuperação num passado não muito distante.
Registado em Portugal em 1963, trata-se de um C Coupé Reutter chassis 127458.
Com agradecimentos ao JF



Museu Tovarich

Não, isto não se passa em Moscovo ou São Petersburgo. Passa-se exactamente em Lisboa, ali para os lados do Lumiar e tem a ver com um curiosíssimo museu privado que, entre muitas outras coisas, apresenta uma magnífica cidade miniatura onde circula um combóio eléctrico puxado por uma locomotiva Porsche e onde  a quase totalidade do "tráfego" automóvel é formada por múltiplas variantes do  Porsche 356.
O "Museu Tovarich" ocupa um pequeno apartamento alugado para o efeito e adoptou este nome devido ao "personagem" que nos recebe logo à entrada, um manequim vestido com um fato de voo Anti-G de um piloto de MIG 17 da Força Aérea Soviética e que foi adquirido há alguns anos na Feira da Ladra. De resto, os aviões de combate estão amplamente representados nesta magnífica colecção que inclui também discos de jazz editados pela Verve nos anos 50. Obviamente, a música que se ouvia em fundo (Gene Krupa e a sua prodigiosa bateria) era  transmitida através de um amplificador de válvulas.
Com todos estes ingredientes, se isto não é uma filial do Paraíso vou ali e já venho.
Ah, só faltou dizer que o Manuel (em baixo, à direita) terá exactamente 50 anos quando o Porsche 356 que vai receber do avô completar um século de existência.